23 de janeiro de 2011



Sempre jurei que eu iria até o fim. E eu fui.
No fundo não acreditei que houvesse um fim.
Mas ele chegou.

Era inevitavel pensar que não havia solução.
Foi quando entendi, e aceitei,
que até então tudo havia sido tentado,
menos te esquecer.
E eu precisava ir, sem olhar pra trás.
Porque sabia que olhar para trás era uma forma
de ficar pela metade.Eu olhei pra trás.
E metade de mim, ainda está aqui.

2 comentários:

HSLO disse...

Nossa...estou dentro desse texto.
abraços
de luz e paz

Hugo

Eu, a Vanessa Marques disse...

a gente tem q acreditar em certas coisas

mesmo sabendo que elas as vezes desmoronam...

bju

http://qrolecionar.blogspot.com