6 de julho de 2010

Na moldura.


Foi quando me perguntaram porque a foto de nós dois
ainda tá na velha moldura no meu quarto.

Eu não soube responder.
Assenti com a cabeça, como quem diz: '- Por quê.'

Fiquei pensando então que teria sido esquecimento mesmo. Não foi.
Não foi falta de atenção. Tenho te visto ali todos os dias.
Confesso que pensei em mudar a foto
pra evitar que mais alguém me ferisse com a pergunta.

Mas reparei que nas fotos no meu quarto
moram apenas as minhas saudades sem remédio.

Amigos à km de distância, outros distantes do convívio,
o meu avô que já morreu. E você.

Pensando isso, senti que encontrei a resposta.
Minha Saudade. Deixa ser.

Você continua lá, na mesma moldura no meu quarto.
Na minha vida.



4 comentários:

Belle disse...

Apesar de triste, achei lindo!

ErikaH Azzevedo disse...

Há certas pessoas que ficam assim emolduradas na nossa vida , o dificil é saber que a memoria é fotografia que não esmaece nunca, só perde a cor o dia que assim decidimos por ser.

Bjos Jana

Erikah

ErikaH Azzevedo disse...

Como quando se tira um vestido velho do baú, um vestido que
não é para usar, só para olhar. Só para ver como ele era.
Depois a gente dobra de novo e guarda mas não se cogita
em jogar fora ou dar.
Acho que saudade é isso.

[Lygia Fagundes Telles]

Achei que complementava teu sentir minha flor, por isso que te trouxe.

Bjo e te sigo , viu!

Manuela disse...

o mesmo acontece comigo, super entendo esse texto! =)
gostei tanto to teu blog q to te seguindo! beijão! ;***